Intra-Uterine Insemination

A Inseminação Intrauterina (IIU) ou Inseminação Artificial é a mais simples das técnicas de Procriação Medicamente Assistida (PMA). Consiste em colocar os espermatozóides directamente na cavidade uterina, através de um pequeno catéter e após a sua preparação laboratorial.

Está indicada sobretudo em casais com infertilidade de causa desconhecida ou masculina ligeira.
É também a primeira indicação em mulheres que necessitam de recorrer a esperma de dador.

No ciclo de IIU realiza-se uma indução controlada da ovulação, através de medicação oral ou injetável, e programa-se a inseminação para o dia provável da ovulação. Nesse dia, após a recolha de esperma, procede-se a técnica em laboratório, que permite selecionar os melhores espermatozóides. Estes são colocados no interior do útero ficando mais próximos do local da fecundação.

Etapas do procedimento:

1. Consulta

Avaliação da condição do paciente, diagnóstico e estabelecimento do curso de tratamento.

2. Estimulação

Administração de fármacos para estimulação dos ovários e controle ecográfico 2/3 vezes, para aferição do número e dimensão dos folículos.
Quando os folículos alcançam o tamanho desejado, procede-se ao agendamento do procedimento, sendo requerida a administração de uma injeção de hCG, para indução da maturação do ovócito, cerca de 36 horas antes.

3. Recolha de Esperma

É feita a recolha de esperma.
Também pode ser utilizado esperma de dador nos casos indicados.

4. Seleção de Espermatozoides

Os espermeratozóides são preparados e selecionados de modo a aumentar a sua capacidade de fecundação.

5. A Inseminação

O esperma tratado é introduzido na cavidade uterina.

6. Teste de Gravidez

Duas semanas depois é realizada análise no sangue (βhCG) para confirmação da gravidez.